1.4.16

Tom Staar abre o mês de abril e é hora de pensar: o que aconteceu com a sonoridade da cena gay?

author photo

Primeiro de abril, conhecido como o dia da mentira, mas hoje o Noisemaker está na vibe apenas das verdades já que nesse mês acontece a aguardada segunda edição do Tomorrowland Brasil. Não vejo à hora de embarcar naquela viagem fantástica orquestrada pelos melhores e maiores nomes da cena eletrônica mundial - por sinal aguarde que algumas entrevistas exclusivas vão rolar aqui no site.


Eu tenho abril como o mês para dar início a novos projetos dentro do site, fortificando assim algumas pautas. Como sempre, estou testando novos assuntos que possam agregar ao site e ser interessante para quem lê e principalmente para mim. Sim! Para estar aqui no Noisemaker precisa me dar prazer em escrever e pesquisar. 

Nesses quase oito anos de idade o site se modificou muito. Não digo apenas em seu layout, mas também em assuntos. Antes fala muito da cena gay, que foi sendo deixada de lado. De fato ela perdeu um pouco a graça. Especificamente a música em boates gays não anda num momento interessante. Tento entender o que aconteceu com a sonoridade daqueles lugares. O progressive house, que sempre vigorou nas pistas, ali acabou se transformando em um eterno barulho que não me desperta nenhum interesse.  Talvez isso tenha acontecido pela forte influencia vinda da Europa. Não saberia explicar. Mas perdi o tesão, confesso!

Por outro lado, o progressive house que toca em grandes festivais tem cada vez mais se mostrando interessante.  Entre esses nomes está o DJ e produtor Tom Staar, da incrível faixa “Bora”. Ele tem mostrado que esse gênero pode ir além de “elementos barulhentos”. Na verdade Tom tem criado sets incríveis misturando o deep, o progressive, o tech e o electro house, ou seja, não se prende apenas uma vertente da musica eletrônica. Talvez alguns DJs da cena gay não tenham entendido isso, não está na hora de se limitar, mas sim misturar os mais diversos sons - coisa que os grandes nomes já perceberam há muito tempo. 

Então para começar muito bem acompanhado o mês abril abre com o podcast “The Journey” apresentado e produzido pelo alemão Juze. Nesse episódio, que escolhi, ele apresenta o Tom Staar para juntos construírem sua interessante jornada com faixas do passado, presente e futuro. Até porque a música eletrônica não é apenas o hoje, mas sim uma historia cheia de momentos gloriosos. Play e boa diversão!


Proxima Proxima
Anterior Anterior

GUIA DE COMO SE VESTIR